Ao utilizar este site, concorda com o uso de cookies de acordo com a nossa Política de Cookies .

Concordar

Notícias

scroll
24.Jul.2018

Ascending Aposta no “Local Content”

24.Jul.2018 Ascending Aposta no “Local Content”
A ASCENDING Moçambique, empresa vocacionada para a gestão de centros de formação, capacitação técnico profissional, recrutamento e trabalho temporário, e que resulta da aquisição da CAPITAL OUTSOURCING GROUP, detida anteriormente pelo grupo sul africano ADCORP, vai investir 180,000.000.00Mts nos próximos 3 anos para impulsionar a capacitação técnico profissional, com ênfase nas especialidades relacionadas com a exploração dos recursos naturais.

Com a experiência acumulada desde 2008, primeiro como CAPITAL, e agora como Ascending, a empresa tem previstos investimentos estratégicos, de forma a estar preparada para os desafios presentes e futuros da economia Moçambicana e a crescente procura de mão-de-obra nacional qualificada.

A vontade de adquirir a empresa surgiu por parte dos gestores locais, ao aperceberem-se que existia um claro processo de desinvestimento por parte da ADCORP em Moçambique, em contraciclo com as oportunidades de crescimento no País. “Este é um grande passo para nós, pois não só veio dar maior motivação, crença, estabilidade e confiança à equipa, mas consideramos ainda que vai contribuir para consolidar os anteriores investimentos efetuados pela empresa, como a criação de um Centro de Formação Técnico Profissional em Pemba, ao abrigo de um Memorando de Entendimento assinado com o IFLELAC, e acima de tudo, permitir que as decisões estratégicas e operacionais sejam tomadas localmente, com "sotaque Moçambicano”, afirmou Nelson Costa, representante do accionista maioritário da empresa, e director financeiro da ASCENDING.

A ASCENDING, vai brevemente lançar, em parceria com o IFPELAC, no centro de formação de Pemba, inaugurado por Sua Excelencia o Presidente da Republica Filipe Jacinto Nyusi em 2016, vários cursos de formação inovadores direcionados a jovens moçambicanos, que pretendam obter qualificações chave para a entrada no mercado de trabalho, em particular na exploração dos hidrocarbonetos e mineração.

Para Hilário Cumbe, que acumula mais de 10 anos de experiência internacional na área da formação profissional do Oil and gas e director Técnico do Centro de Formação de Pemba da ASCENDING, “ A responsabilidade que recai sobre nós, como formadores de quadros Moçambicanos é enorme, pois por um lado temos a necessidade de garantir que os planos de conteúdo local são cumpridos, sem nunca pôr em causa o compromisso com a qualidade que as Multinacionais têm que seguir e cumprir padrões internacionais devidamente certificados”. Hilário Cumbe, Moçambicano, afirma ainda que “urge efectuar parcerias com os operadores comerciais e com as entidades institucionais relevantes, de forma a alinhar os currículos com as necessidades do mercado”.

A ASCENDING tem previsto investir 180,000,000,00 Mts nos próximos 3 anos para reforçar e melhorar a capacidade instalada nos centros de formação profissional sob sua gestão. “Os investimentos previstos estão em conformidade com os 4 vectores chave para o sucesso da ASCENDING: Ética, Rigor, Colaboração e Ambição. Ética na forma de estar e de ser da empresa, Rigor no comprometimento com os resultados dos nossos clientes e formandos, Colaboração nas relações institucionais com os nossos parceiros públicos e privados e com a renovada ambição de ser uma empresa relevante tanto na área de formação como na Gestão de Forças de Trabalho”, considera Nelson Costa.

Actualmente, a ASCENDING faz a gestão dos centros de formação de Pemba, no âmbito de um memorando de entendimento com o IFPELAC, do centro de Boane, o MATC, tendo em 2018, formado e inserido no mercado de trabalho cerca de 1800 jovens Moçambicanos, com idades compreendidas entre os 20 e os 32 anos de idade, e considera haver um grande potencial de crescimento.

Philip Schnitzer, Director Comercial da ASCENDING, afirma que “Moçambique tem uma população maioritariamente jovem, e as acções de formação e o ensino técnico profissional são essenciais para que jovens moçambicanos, devidamente capacitados e qualificados internacionalmente tenham acesso aos postos de trabalho que vão ser criados com o arranque para breve dos projectos.Acredito que um melhor conhecimento mútuo e cooperação, reconhecimento das necessidades reais vs. real capacidade, uma maior interacção e comunicação entre os sectores público e empresas de formação e multinacionais, são aspectos fundamentais para que os currículos ministrados nos centros de formação existentes no país possam contribuir de forma positiva para o enriquecimento dos jovens e para a capacitação técnica do país, e a Ascending pretende ser um parceiro estratégico nesse sentido.”